26/11/15 por Ruy Shiozawa

Educação e Saúde sempre estão na base de qualquer sociedade. Fui sócio, com quatro outros professores, em um projeto de educação para adultos. Fui empreendedor em uma clínica psiquiátrica, cujo tratamento inovador baseava-se na geração de um campo magnético em áreas específicas do cérebro, em vez de grandes doses de medicamentos. Sou sócio em uma academia de fisioterapia voltada para a terceira idade. Também sou sócio em uma empresa de pesquisa, consultoria e capacitação, voltada à transformação do ambiente de trabalho.

Consultoria GPTW

Nossos treinamentos vão muito além de explicar o quê – mostram como fazer. O formato prático e vivencial permite que os fundamentos da cultura Giftwork® – aquela das Melhores Empresas – seja acessível para qualquer funcionário em qualquer empresa. Liderança pode (e deve) ser exercida por todos!

» Receber proposta

O que pude aprender com estas experiências? Um empreendimento bem sucedido necessariamente faz sua lição de casa em três pilares: gestão financeira, gestão do mercado e dos clientes, gestão de processos e tecnologia. No entanto, pelo menos no meu caso, a diferença entre o sucesso e o fracasso dependeu da excelência em um quarto pilar: a gestão de pessoas. O curioso é que não existe empresa no mundo que não diga que pessoas são o mais importante. No entanto, apenas uma parcela, as empresas excelentes, implementam eficazmente aquilo que pregam.

E não é difícil de entender. Uma parte considerável de empreendedores lançam-se ao mercado pois não suportam mais os seus chefes: falta de comunicação efetiva, não envolvimento em decisões que afetam o seu trabalho, distanciamento, ausência de espírito de colaboração, desprezo pelo fato de haver uma pessoa atrás do profissional.

Um detalhe fundamental: se você resolve montar seu próprio negócio, em algum momento vai pensar em crescimento, o que significa trazer mais gente para a equipe... e se transformar em chefe! Como evitar que você cometa os mesmos erros que o fizeram abandonar a empresa anterior?

A pesquisa global do Great Place to Work sobre ambientes de trabalho mostra que entre as Melhores Empresas para Trabalhar, 16% dos colaboradores não estão nem aí para a estratégia e objetivos da empresa, o que já é altamente preocupante. À medida que caminhamos para empresas com piores ambientes de trabalho, este indicador decai rapidamente, atingindo níveis de “descompromisso” de 50% a 70%. Ou seja, você paga salários todo mês na data correta e mais da metade da sua equipe não se importa nem um pouco com a empresa, as finanças e os clientes!

Pesquisa sobre o ambiente de trabalho envolvendo mais de 100 redes de franquias no Brasil mostrou um resultado estarrecedor: a grande maioria das redes estava muito bem estruturada nos três primeiros pilares (finanças, clientes e tecnologia). O pilar pessoas pode ser considerado inexistente. Isso significa que milhares de empreendedores, franqueados de centenas de marcas, estão com um pé no barco do fracasso e próximos de perderem todas as suas economias.

Por isso, virar empreendedor não é apenas um grito de independência e uma forma de fugir do seu chefe. Esta decisão traz junto uma grande responsabilidade de entender porque as coisas não andavam bem em sua empresa anterior e o que você vai fazer de melhor em sua própria empresa. Em outras palavras, como você vai fazer para se tornar o líder que seu chefe não conseguiu.

Ficam aqui três dicas rápidas para começar bem seu novo desafio:

(1) escute as pessoas: em geral elas tem mais idéias e sugestões para melhorar sua empresa do que você imagina; só o fato de escutá-las passa a mensagem de que a opinião delas importa.

(2) crie ou aperfeiçoe as práticas de gestão de pessoas: ao longo do tempo você vai perceber que excelentes práticas podem não custar absolutamente nada: comunicar de forma aberta e transparente, agradecer o bom trabalho, desenvolver pessoas e profissionais, celebrar as conquistas. Experimente, faça da maneira que preferir; mas faça!

(3) desenvolva a liderança da empresa para cuidar de pessoas: liderar não é ter cargo e ser chefe, é influenciar pessoas. O líder inspira e sabe que as pessoas não estão em busca de um emprego mas sim de um significado para suas vidas!

Cuide bem das pessoas e, em retorno, elas trarão o resultado que você espera para seu empreendimento!

Conteúdos Relacionados