23/12/15 por Ruy Shiozawa

Agora que chegamos na reta final do ano, decidimos olhar para trás e entender qual é a grande tendência na melhoria dos ambientes de trabalho em 2016. Para isso, observamos a evolução na pesquisa Trust Index© das Melhores Empresas para Trabalhar no país de 2011 a 2015. 

Ao olhar para os números da pesquisa, encontramos um ponto em comum muito interessante entre as empresas premiadas. A dimensão imparcialidade está presente em cinco dos seis aspectos que mais melhoraram nos últimos 5 anos.

2015.12.23 - Tendencias 2016 Transparencia e a bola da vez.png

Isso nos permite chegar a algumas conclusões interessantes sobre o que podemos esperar para 2016 nas empresas comprometidas a melhorar seus ambientes de trabalho:

1. A qualidade da comunicação está melhorando

Desde que os escândalos financeiros de gigantes como a Enron colocaram os rumos da economia global em risco, as práticas de governança corporativa se tornaram mais frequentes (e exigidas) pelo mercado, por governos e por acionistas. Transparência é cada vez menos um valor e cada vez mais um requisito.

As Melhores Empresas para Trabalhar saíram na frente e entenderam que ser transparente também dentro da empresa só poderia trazer benefícios. Seus líderes estão mais preparados, conhecem melhor os valores, estratégia e funcionamento da empresa e conseguem comunicá-los de maneira eficiente para suas equipes. Além disso, seus departamentos de RH possuem práticas sólidas que garantem que transparência e comunicação aberta não fiquem apenas no papel. Com isso, nada fica no “achismo”.

2. Mas ainda há um longo caminho a percorrer

Nas afirmativas da dimensão Imparcialidade mostradas acima, podemos perceber que as notas ainda são muito baixas, mesmo nas Melhores Empresas (como referência, a média final do Trust Index© em 2015 foi de 84. Sendo assim, apesar do rápido crescimento, o trabalho ainda não está terminado.

Isso acontece porque ainda há um antiquado tabu das empresas brasileiras em não compartilhar informações financeiras (seja de resultados da empresa ou de salários) e evitar o assunto. Quando comparamos as notas entre as 135 premiadas e as empresas que não foram reconhecidas em 2015, esse cenário se torna nítido:

2015.12.23 - Tendencias 2016 Transparencia e a bola da vez 2.png

Esses números são indicativos de algo muito importante que permeia a sociedade brasileira, e está entrincheirado também nas empresas.

3. Falta confiança!

O tabu de manter certos assuntos longe do alcance do funcionário é sintoma da falta de confiança generalizada presente nas empresas do país. E vemos no dia a dia o impacto da falta de confiança no mercado: ações de empresas entram em queda livre, economias de países tornam-se instáveis – enfim, a confiança pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso. Dentro das empresas, a situação é a mesma.
É preciso deixar as “regras do jogo” claras para todos: quais são os critérios de promoção? Por que fulano ganha mais? Por que o valor da participação nos lucros é baixo quando a empresa parece estar indo bem e todas as metas foram batidas?

Mesmo se (e esse é um grande se) a empresa estiver sendo justa em todos elementos, não falar sobre eles ou esconder os critérios utilizados sempre irá prejudicar a relação de confiança entre funcionário e empresa. Afinal, você confiaria em alguém que não confia em você?

Não desperdice uma oportunidade de vitória para todos os lados.

Conteúdos Relacionados